terça-feira, 5 de outubro de 2010

I do, Ido, Ido, Ido

Sentada na sua escrevaninha, perdida entre pensamentos e ideias... viajava até lugares longínquos, lindos, paradísiacos... lugares onde nunca tivera ido, lugares que provavelmente nem existiam... apenas e só na sua mente, nos seus sonhos!

Observava novamente a sua fotografia... aquele sorriso, aquele olha (suspiro)! Estava ciente de que Ele nunca iria ser "seu". que Ele apenas era um actor de cinema, alguém por quem diversas mulheres também suspiravam e com Ele sonhavam, mas mesmo assim... o observar daquela foto transmitia-lhe paz, calma interior, um calor que nao sabia justificar.

Assistira recentemente a um filme em que Ele participava, recordava repetidamente algumas das cenas e sonhava. Ao mesmo tempo perguntava-se a si própria: "Porque é que na vida real nao é assim?". O filme tinha mudado a sua vida! Tinha-a marcado de forma positiva, mas ao mesmo tempo despertara em si sentimentos e emocoes que julgava controlados e esquecidos. Até á bem pouco tempo sentia-se segura de si, nao precisava de ninguém, nao precisava de Amar alguém. Afinal só tivera desilusoes (no que toca ao amor) em toda a sua vida! Estava decidida a nao precisar de ninguém. A nao voltar a Amar, mas tudo mudou ao ver aquele filme..
Os sentimentos que julgara adormecidos voltaram a manifestar-se e a manterem-na acordada! O filme tocou-a tanto... fez-la recordar momentos vividos, dores sentidas... mas ao mesmo tempo fez-la sentir uma nova vontade de arriscar. De Amar novamente e deixar-se ser amada! Já há muito tempo que se fechara numa fortaleza, que se barricara entre altos muros onde nada nem ninguém poderiam entrar. Mas aquele filme... aquela frase "Eu mostrei-te as minhas cicatrizes! Abri-te o meu coracao. Nós temos os dois as mesmas cicatrizes! Abre o teu coracao!" marcara-a profundamente! Pois no seu caso também Ela tinha cicatrizes e feridas ainda abertas e que doiem tanto... Talvez mesmo por isso se fechara tanto. Mas a vida é tao curta e temos que a saber aproveitar! Portanto seria altura de arriscar e abrir o seu coracao novamente! Quem sabe teria mais sorte? Pelo menos abrira já o seu coracao a Ele! Finalmente ao fim de tantos anos descobrira novamente alguém que a despertara. Descobrira um olhar que lhe transmitia carinho e um certo calor! Apesar de ser um "amor impossível" e platónico fazia a sentir-se bem! E isso é que era o importante. O importante também era a coragem que necessitava para se voltar a aproximar do mundo, das pessoas... Quem sabe deixar alguém ultrapassar as barreiras que Ela havia criado! Alguém que tivesse a forca, a paciencia e a coragem para destruir as barricadas. Alguém que soubesse tratar das suas feridas abertas e das suas cicatrizes profundas. Alguém que a soubesse Amar!

Cheia de Paz interior e com uma felicidade que nao sabia explicar, deixou-se escorregar na cadeira e com um sorriso apenas exclamou: "Eu tenho a coragem de arriscar!".


It´s time now, my Darling!

4 comentários:

Mikashi disse...

Adorei....li com muita emoção :) mas... já agora...qual era o filme ;)

Beijinhos!

lis disse...

Faz tempo que nao venho no seu cantinho e hoje encontro uma linda prosa poética.
Adorável!
Arriscar é tudo que devemos ousar!
abraços Sara

Sara disse...

@Mikashi: Ainda bem que gostaste! O filme..."Eat,Pray, Love", espero que também já o tenhas visto e que te tenha marcado e agradado tanto quanto a mim! Beijinhos

@Lis: Foi boa a sua visita, espero que Você volte em breve! E fiquei contente por ter gostado do que escrevi...
Um bom Domingo para Si!

Mikashi disse...

Bem parecia :) Já vi também o filme e gostei mtooo... uma lição de vida!
Beijinhos